segunda-feira , 11 de dezembro de 2017
Home / Como Viver Melhor / Alimentos para diabéticos: o que você deve comer para ser saudável
Nutrição e Diabetes

Alimentos para diabéticos: o que você deve comer para ser saudável

No tratamento do diabetes existem 5 pilares, que juntos, trabalham para oferecer melhor qualidade de vida ao paciente. Como você deve saber, a alimentação é um deles. Os alimentos para diabéticos são, na verdade, alimentos que qualquer pessoa com o objetivo de ser saudável deve consumir. Ou seja, qualquer pessoa que siga as dicas abaixo poderá se beneficiar e adiquirir uma maior qualidade de vida.

Cada pilar representa um cuidado, uma área a ser trabalhada para melhor proveito do tratamento:

Os 5 pilares do tratamento da Diabetes

1- Atividade Física: prática regular e diária;
2- Tratamento clínico: uso correto da medicação;
3- Nutrição: Alimentação equilibrada e saudável;
4- Automonitoramento: Medições de glicose periódicas;
5- Educação em Diabetes: Gerenciamento do estresse;

Neste texto vamos aprofundar o terceiro pilar do tratamento, a boa nutrição. Com uma alimentação saudável e adequada, o paciente com Diabetes, de qualquer idade, irá crescer, desenvolver e se manter. Também poderá controlar a glicose próximo dos padrões de normalidade desejados, evitando a hipoglicemia e a hiperglicemia. Além disso, veremos que os alimentos para diabéticos não precisam ser, de maneira alguma, ruins, sem sabor e sem cor.

Acompanhe:

Como deve ser essa alimentação equilibrada?

– Fracione adequadamente sua dieta em seis refeições diárias: café da manhã, almoço, jantar e os lanches dos intervalos;
– Os horários dessas refeições deverão ser regulares. 3 em 3 horas ou, no máximo, um intervalo de 4 horas. Assim, não ocorrerão longos períodos de jejum, e a compulsão alimentar será evitada;
– Nenhuma refeição deverá ser esquecida;
– Alimente-se vagarosamente, mastigando bem os alimentos. Dê tempo ao seu corpo para se saciar;
– A preparação dos pratos deverá ser variada, saborosa, colorida e nutritiva.

Seguindo um dos guias alimentares, neste caso a Pirâmide Alimentar, vamos seguir seus grupos de alimentos para diabéticos. Estes nutrientes deverão fazer parte do cardápio diário do paciente com Diabetes:

Alimentos para diabéticos – Grupo 1 (Carboidratos)

É a base da Pirâmide Alimentar. Representa os alimentos energéticos, ricos em glicose que se transforma em energia. A recomendação de consumo diário é de 5 a 9 porções. Dê preferência aos carboidratos complexos, ao invés dos refinados (farinha branca, biscoitos doces, açúcar e doces). Esses últimos são integrais e ricos em fibras.

Fazem parte desse grupo: Pães, em geral, arroz, biscoitos salgados, macarrão e massas, farinhas, grão integrais, batata inglesa ou doce, mandioca, cará e inhame, milho verde, cevada, quinoa, centeio, trigo, aveia.

alimentos para diabéticos

Alimentos para diabéticos – Grupo 2 (Hortaliças, Verduras e Legumes)

Recomendação de, no mínimo, 4 porções ao dia, sendo duas delas em cada refeição principal: Almoço e Jantar. É importante que uma delas seja crua e a outra cozida ou refogada (atentar ao consumo exagerado de gorduras).

Na casa das Hortaliças, para preservar as fibras alimentares, não pique ou cozinhe demais. As fibras são importantes para otimizar o controle da glicose sanguínea. Além disso, dão mais saciedade, auxiliam no funcionamento do intestino e ajudam na eliminação de colesterol.

Alimentos para diabéticos – Grupo 3 (Frutas)

Ricas em minerais, vitaminas e fibras. Recomendação de, no mínimo, 3 porções e,no máximo, 5 porções ao dia. Divida estas porções entre o café da manhã, o lanche da manhã, o almoço, jantar e ceia;

Dica: Uma das porções de frutas deve ser  fonte de vitamina C. Como por exemplo: abacaxi, laranja, tangerina, morango, kiwi, caju, goiaba. Essas devem ser consumidas junto a leguminosas, pois favorece o ingestão de ferro.

Alimentos para diabéticos – Grupo 4 (Leguminosas)

Os alimentos que compõem esse grupo são: Feijão, ervilha, lentilha, grão de bico e soja. Apenas uma porção ao dia atinge a recomendação diária, presente no almoço ou Jantar;

Dica: Preserve a casca para ter mais fibra na sua dieta.

Alimentos para diabéticos – Grupo 5 (Carnes)

Esse grupo é composto pelos diversos tipos de carne: Boi, frango, porco e peixe, além dos ovos. A recomendação diária é de duas porções. Uma média, 100 gramas para cada refeição principal é suficiente. Almoço e jantar; ou café da manhã ½ porção, almoço e ½ porção jantar. Cada porção de 100 gramas equivale a uma palma da mão.

Sempre dê preferência as carnes magras. Aves sem pele, cortes magros: descarte a gordura do alimento e a água de cocção, rica em gordura. Procure consumir peixe de duas a três vezes por semana, incluindo aqueles que possuam ômega 3. Sardinha, salmão, truta, namorado, anchova, cavala, cavalinha ou linguado são ótimos.

O consumo de ovos não deve ultrapassar a 5x por semana, e muito menos deve ser consumido junto as carnes.

Alimentos para diabéticos – Grupo 6 (Lácteos e Derivados)

Composto pelos seguintes Alimentos: Leite, iogurtes, queijos magros (minas frescal, ricota, cottage, requeijão light) e queijos gordos e amarelos. Dê preferência ao consumo de produtos desnatados e light, isentos de gorduras. A recomendação é de 2 a 3 porções por dia, podendo ser divididas entre o café da manhã, o lanche da tarde e a ceia.

Alimentos para diabéticos – Grupo 7 (Óleos e Gorduras)

A recomendação é de 1 a 2 porções por dia. Dê preferência aos óleos vegetais, evitando o consumo de margarina e manteiga.  Para cocção recomenda-se o uso do óleo de canola que possui maior ponto de fumaça. O Azeite de Oliva não deve ser exposto ao calor, devendo ser consumido “cru” em saladas ou outras preparações.

alimentos para diabéticos

Alimentos para diabéticos – Grupo 8 (Açúcar e Doces)

Recomenda-se apenas 1 porção ao dia. Para o diabético, a sacarose, ou melhor, o açúcar poderá ser utilizada dentro de um limite específico em sua dieta. Isso se a sua glicemia estiver controlada, realizando-se a contagem de carboidrato presente e sob orientação.

Os adoçantes dietéticos substituem os açúcares em geral e mel. Atualmente, os adoçantes têm boa aceitação sem comprometer o paladar, porém, deve-se evitar àqueles à base de frutose para que não ocorra o aumento dos triglicerídeos no sangue.

Os refrigerantes com açúcar poderão ser substituídos pelos diet ou zero, desde que não sejam usados à vontade. Os sucos de frutas naturais, diluídos em água, são opções melhores por fornecerem vitaminas e minerais. Os doces poderão ser preparados em casa com adoçantes para culinária, sendo mais uma opção para variar o cardápio. Pode-se, também, adquirir os doces dietéticos industrializados, mas com moderação.

Lembre-se: produtos dietéticos não devem ser consumidos livremente, pois em sua maioria, são isentos de açúcar, mas contém mais gorduras.

Alimentos para diabéticos: colocando em prática…

Agora que vimos como os alimentos para diabéticos podem nos ajudar, vamos entender melhor como inserir estes alimentos em nosso cardápio diário.

Sobre os carboidratos, sabemos que uma atenção especial deve ser dada. Os alimentos ricos em carboidratos farão parte da sua alimentação. Não é correto trabalhar uma dieta isenta de carboidratos, afinal eles são fontes de energia para nosso corpo, deverão ser usados desde que a sua quantidade seja controlada.

Importante: na escolha da qualidade do carboidrato que se ingere, dê preferência aos que sejam ricos em fibras como os alimentos e produtos integrais. Uma estratégia nutricional e de controle é realizada através da contagem de carboidrato. Pode-se escolher para o café da manhã e lanche da tarde. A saber: pão, torrada, bolacha, aveia, flocos de milho ou mix de cereais.

Ao falar da aveia, destacamos a importância do seu consumo no dia a dia do diabético. A aveia contém, em sua composição, a “beta glucana” que auxilia no controle da glicose e do colesterol sanguíneo. Deve ser usada, pelo menos 1 vez ao dia, na  porção de 1 colher de sopa cheia.

Apesar de existir uma preocupação maior no controle de carboidratos, por afetarem diretamente a glicemia, não se pode negligenciar o consumo de gorduras e proteínas na dieta dos diabéticos.

Sendo assim, deve-se utilizar óleos vegetais no preparo dos alimentos (soja, milho, girassol ou canola), enquanto que o azeite de oliva deve ser utilizado no tempero da salada. A margarina cremosa light ou creme vegetal é uma opção para ser incluída no café da manhã e lanche da tarde. Caso a maionese ou o creme de leite sejam utilizados em alguma preparação, deve-se adotar, moderadamente, a versão light, mas evite sempre que necessário.

As proteínas também precisam fazer parte da dieta para que se promova o crescimento e o desenvolvimento de ossos, da massa muscular e dentes saudáveis. Entretanto, não cometa excessos para que os rins não sejam sobrecarregados desnecessariamente. Respeite a quantidade estabelecida no seu plano alimentar.

Alimentos para diabéticos: fique de olho!

Alimentos como o bacon, banha, toucinho e torresmo não devem fazer parte do cardápio. Essas condutas buscam o controle na ingestão de ácidos graxos saturados, gordura trans e colesterol dietético. Com esses cuidados pode-se controlar as taxas de colesterol no sangue e prevenir doenças cardiovasculares, em especial a coronariana, causada pelo infarto do miocárdio.

Não abuse do sal para evitar o descontrole na pressão arterial (HAS). Utilize temperos e alimentos naturais no preparo das refeições, ao invés dos industrializados ricos em sódio. O ideal é utilizar o alho, cebola, salsinha e cebolinha, manjericão, sálvia para dar gosto a sua preparação. Os diabéticos já tem uma predisposição a pressão alta, portanto evite exageros.

O valor calórico do plano alimentar deverá ser calculado individualmente, considerando-se o resultado da avaliação do estado nutricional do paciente, que pode ser diagnosticado como baixo peso, peso normal ou excesso de peso, por meio dos dados antropométricos (idade, peso, altura e IMC), bem como o tipo, frequência e duração da atividade física quando realizada.

No caso da criança diabética, devido ao seu crescimento e alteração no tipo de atividade física, é conveniente a reavaliação de peso e altura entre três a seis meses. Estas ações visam assegurar o desenvolvimento próprio da idade da criança paralelamente ao controle metabólico, tanto glicêmico, quanto ao perfil lipídico (colesterol total, HDL, LDL) e triglicérides.

alimentos para diabéticos

Um não-alimento importante

Outro aspecto fundamental é garantir uma boa hidratação ao longo do dia que, requer o consumo mínimo de 2 litros de água por dia. Café e chás com adoçantes podem ser utilizados também, mas o cuidado maior deve ser com os sucos de frutas que contém a frutose.

A prática da hidratação associadas à utilização da medicação para controle da glicemia e a uma alimentação balanceada, garantirá a adequação do peso e maior qualidade de vida.

O cardápio do diabético deve ser idêntico ao de sua família, para que todos tenham hábitos alimentares saudáveis, afinal a alimentação desses pacientes é um ótimo exemplo de alimentação balanceada, que visa saúde e qualidade de vida.

O planejamento de um plano alimentar saudável para o diabético deverá ser elaborado levando-se em conta a relação entre o paciente e o nutricionista. Para tanto, deve-se conhecer os hábitos alimentares do diabético e de sua família, as disponibilidades da alimentação fora e dentro de casa e as preferências e restrições alimentares. Entendo que o diabético não pode ser excluído da definição do cardápio, até porque é ele que o fará ou não, dependendo de como o processo seja conduzido. Logicamente, o apoio familiar é decisivo nesse processo.

A Diabetes deve ser tratada e monitorada ao longo da vida do paciente. Quando há um enfoque interdisciplinar nesse tratamento, o diabético é amparado, orientado e realiza o auto-cuidado de uma forma mais adequada, melhorando sua qualidade de vida, prevenindo ou retardando as complicações do diabetes como a retinopatia, nefropatia, neuropatia periférica e a doença coronariana.

Nada melhor do que educar o um paciente com Diabetes desde o momento de seu diagnóstico sobre o que é a doença, quais os cuidados necessários e como agir perante ela.

O Alimento Essencial

Agora que você viu todas as recomendações sobre alimentos para diabéticos que preparamos. Temos de lembrar do último e mais importante alimento que deve ser incluído no seu dia-a-dia.

Alimento essencial: Entender qual o melhor tratamento para o controle do diabetes é fundamental para que você consiga um bom controle glicêmico e assim mais qualidade de vida para toda a família. Se você quer saber mais sobre os detalhes que podem comprometer o tratamento, sugiro a leitura do e-book “Desvendando os Segredos do Diabetes”.

O Conhecimento é a ponte para uma vida plena e saudável de quem tem diabetes.

Clique no botão abaixo e conheça melhor os tipos de tratamento:

QUERO CONHECER MEU TRATAMENTO

Veja Também

Como saber se tenho diabetes?

Como saber se tenho diabetes? Essa é uma pergunta bastante comum a quem consegue idenficar …

Um Comentário

  1. Salete Trevizan Testolin

    A gripe também pode descontrolar a DIABETES, né?
    Pois estou engripada e minha diabetes não anda bem controlada como sempre, ainda mais agora que não tenho fitas para medir a glicose…
    Salete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *